Passar para o Conteúdo Principal

Percurso Refoios

Percurso refoios 1 720 1000

Ainda na orla ocidental deste concelho brigantino, a confrontar (do ponte e sul) com Vinhais, fica a freguesia de Zoio. Dis­tante uns dezanove quilómetros para su­deste da capital concelhia, Zoio tem liga­ção a esta através das E.N. 15 e 216. O seu território, medianamente extenso, surge uma vez mais a abarcar um dos pen­dores da Serra da Nogueira, desta vez na sua vertente ocidental (com altitude mé­dia a rondar os 700 metros). Pese embora a falta de notícias compro­vando achados de objectos ou estações arqueológicas comprovativos de remota ocupação local, é de todo plausível que também esta freguesia tivesse conhecido um povoamento pelo menos proto-histórico, a julgar pelo menos a abundância relativa de estações castrejas recenseadas pelas limítrofes Carrazedo, Nogueira e Rebordãos.

O chamado rol das “Villae fo­rarie” em termo de Bragança, preciosida­de datável de meados do séc. XIII, alude já à “Villa de Uzoy” como foreira a coroa. A grafia “Ozoyo” ainda se registava pelos inícios do séc. XVIII (“corografia Portu­guesa”, de 1706, do Pe. Carvalho da Cos­ta). É de crer que este topónimo e actual designação paroquial “Zoio” radique as­sim, etimologicamente, num antropóni­mo de raiz germânica.

O “Chronicom de D. Pedro” dá notícia de uma igreja dedicada a “Sancti Zoili” e mandada edificar em finais do séc. X pelo rei Bermudo II. A forma “Osoilo”, respeitante a nome pró­prio surge ainda em documentos de 1029. Para além do povoado principal, que dá nome à freguesia, Zoio conta ainda com os aglomerados populacionais de Refoios e Martim, ambos correspondentes a sedes de antigas e extintas paróquias. No total, contabilizam estes lugares umas 270 almas, segundo os censos de 1991.

Este percurso inicia-se e termina em Re­foios, devendo ser feito no sentido contrá­rio ao dos ponteiros do relógio.

A Igreja de Refoios (invocando a N. Sra. do Ó) será talvez a mais imponente da fre­guesia, com sua graciosa traça ao gosto barroco que se há-de prever setecentista. Na frontaria, rematada ao alto por enor­me campanário de tripla sineira, destaca­-se o correspondente portal, de robusta ar­quitrave dupla e encimado por um frontão interrompido por caprichosas volutas en­quadrando um nicho central (actualmen­te vazio). Pelo último quartel do século passado, Pinho Leal aludia a duas capelas públicas invocadas a S. Sebastião, uma “no Zoio” e a outra em Refoios (já então arrui­nada), para além de um templete particu­lar na Casa dos Ferreiras, em Refoios.

 

Mapa Passeio Pedestre Refoios

 

INFORMAÇÕES

Freguesia de Zoio

Área: 25,122 Km2
Actividades económicas: Agricultura
Património: Igreja matriz, igrejas de Martim e de Refoios, capelas de Santa Eufémia e de Santa Luzia e moinhos de água.
Outros locais: Açude no lugar do Couto e paisagem natural.
Extensão (aprox.): 7,8 km
Duração: 2h30
Dificuldade: Média
Tipo de Percurso: Circular

voltar ao topo
área de munícipe

Aceda à sua Área de Munícipe para ter acesso à Subscrição de Newsletter e aos Serviços Online, entre outras funcionalidades.

Câmara Municipal de Bragança
Forte S. João de Deus
5300-263 Bragança
Tel: 273 304 200 | Fax: 273 304 299

logótipos EU